Medacta Corporate | AMIS - A ABORDAGEM MEDACTA. POR QUE UMA SUBSTITUIÇÃO TOTAL DO QUADRIL AMIS?

AMIS - A ABORDAGEM MEDACTA

O cirurgião pode acessar a articulação do quadril por caminhos diferentes, seguindo uma abordagem cirúrgica “convencional” ou uma conduta cirúrgica minimamente invasiva (MIS). A verdadeira Cirurgia Minimamente Invasiva é caracterizada pela preservação dos músculos e tendões encontrados durante a cirurgia na cápsula articular do quadril, proporcionando uma incisão reduzida na pele.

 AMIS é verdadeira Cirurgia Minimamente Invasiva.

Outras condutas anunciadas como minimamente invasivas (posterior, lateral ou dupla incisão) são apenas técnicas de incisão de redução de pele e estão associados à mesma lesão do músculo e / ou tendão, assim como nas abordagens “convencionais”. AMIS não corta músculos e respeita os nervos.

Na verdade, a abordagem anterior é a única técnica que segue os planos intermuscular e internervoso, reduzindo assim o risco de lesões nos músculos, tendões, vasos e nervos. A liberação muscular é reduzida a um mínimo e, em todos os casos, é menos importante do que em outras condutas cirúrgicas.
Por esta razão, AMIS é a abordagem ideal para a cirurgia atraumática, que é fundamental para uma recuperação rápida: AMIS irá melhorar a sua qualidade de vida e acelerar sua recuperação após uma Substituição Total do Quadril.
A técnica AMIS diminuiu a incidência de complicações quando comparada às técnicas “convencionais”. O seu médico irá ajudar fornecendo mais detalhes.

POR QUE UMA SUBSTITUIÇÃO TOTAL DO QUADRIL AMIS?

A técnica AMIS causa menos trauma cirúrgico do que outras técnicas porque nenhum músculo é cortado [1,2], ajudando na rápida recuperação. AMIS pode lhe fornecer os seguintes benefícios:

DIMINUIÇÃO DA DOR PÓS-OPERATÓRIA  [1,3]
Em comparação com as técnicas cirúrgicas “convencionais”, esta conduta pode reduzir a dor pós-operatória uma vez que os músculos não são cortados. 

MENOR TEMPO DE REABILITAÇÃO  [3,4]
A reabilitação geralmente começa no dia da operação ou no dia seguinte, sujeito à aprovação do seu médico, com base em suas condições pós-operatórias. Levantar-se e caminhar com muletas de braço pode começar imediatamente, com a autorização do seu médico.

MENOR PERMANÊNCIA NO HOSPITAL  [2,5]
A técnica AMIS geralmente reduz significativamente o tempo de internação hospitalar. Seu cirurgião pode ainda recomendar uma estadia mais longa, dependendo da sua condição pós-operatória.

PEQUENA CICATRIZ DE PELE [3]
Com AMIS, a incisão na pele é muitas vezes menor do que com a cirurgia convencional e, portanto, o tecido da cicatriz é reduzido. 

RETORNO MAIS RÁPIDO ÀS ATIVIDADES DIÁRIAS  [5,6,7]
A técnica AMIS permite retornar às atividades diárias em um tempo mais curto.

MENOS PERDA DE SANGUE  [2,3]
A preservação de músculos e vasos potencialmente reduz a perda de sangue. As transfusões são raras, os coágulos de sangue nas pernas (trombose venosa profunda) provavelmente não irão ocorrer.

REDUÇÃO DO RISCO DE DESLOCAMENTO (separação da bola do quadril e o encaixe)  [4,8]
Como resultado da técnica AMIS, a preservação dos músculos melhora significativamente a estabilidade do quadril. O risco de luxação é mínimo e a limitação de movimentos no pós-operatório, geralmente prescrita em outras técnicas, não é necessária. O risco de luxação é reduzido porque a abordagem anterior é realizada a partir da frente do seu corpo e o deslocamento está relacionado principalmente ao dano da estrutura posterior do quadril.

REDUÇÃO DA POSSIBILIDADE DO PACIENTE MANCAR  [9,10,11,12]
AMIS caracteriza-se por uma técnica cirúrgica que protege os músculos, vasos sanguíneos e nervos encontrados durante a exposição da articulação do quadril. Minimizando o dano aos músculos e nervos há uma redução da possibilidade de mancar. 

 

Você pode dirigir quando for capaz de entrar e sair do carro confortavelmente, tiver excelente controle de suas pernas e não estiver tomando medicamentos para dor. Dependendo da sua condição geral e apenas com a aprovação do seu cirurgião, você poderá dirigir em 8 a 10 dias.

 
META DA TÉCNICA AMIS
O principal objetivo da Substituição Total do Quadril AMIS é minimizar o dano aos músculos, vasos sanguíneos e nervos ao redor da articulação.
A técnica AMIS é o método especificamente desenhado para alcançar este objetivo.

 
REFERÊNCIAS


[1] Arthroplastie totale de hanche par voie antérieure et son évolution mini-invasive; F. Laude et al.; EMC; 2004, 44-667-B
[2] Single-incision anterior approach for total hip arthroplasty on an orthopaedic table; JM Matta et al; Clin Orthop Relat Res, 2005 Dec, (441): 115-24
[3] Minimally Invasive total hip arthroplasty: anterior approach; F. Rachbauer; Orthopäde, 2006 Jul;35(7):723-4, 726-9 
[4] Mini-incision anterior approach does not increase dislocation rate: a study of 1037 total hip Replacement; T Siguier et al; Clin Orthop Relat Res, 2004 Sep, (426): 164-73
[5] What‘s new in hip arthroplasty; MH Huo et al; JBJS Am; 2005 Sep, 87(9):2133-46
[6] Rapid Rehabilitation and recovery with minimally invasive total hip arthroplasty; RA Berger et al; Clin Orthop Relat Res, 2004, (429): 239-247
[7] The minimally invasive anterior approach to hip arthroplasty; RE Kennon et al; Orthopäde, 2006 Jul, 35 (7): 731-7
[8] Dislocation after hip hemiarthroplasty: anterior versus posterior capsular approach.; JB Bush et al; Orthopedics. 2007 Feb;30(2):138-44
[9] Muscular damage after total hip arthroplasty: conventional versus minimally invasive anterior approach.;  Dr Dora, Dr Kalberer; AOA 2008, Australia, Hobart
[10] Abductor Tendons and Muscles Assessed at MR Imaging after Total Hip Arthroplasty in Asymptomatic and Symptomatic Patients. C. Pfirmann et al., Radiology 2005, 235: 969-976.
[11] MR imaging of the abductor tendons and muscles after total hip replacement in asymptomatic and symptomatic patients. PD Dr. Dora, EFORT 2007
[12] Der anteriore Zugang für die minimal-invasive HTEP. C Dora; Leading Opinions Sept 2006, 1/2006